html{display:none} Tecnologia para Superar as Bolhas de Plasma | Schweitzer Engineering Laboratories
Notícias / Produtos e Soluções / Tecnologia para Superar as Bolhas de Plasma

Tecnologia para Superar as Bolhas de Plasma

Equipamento da SEL pode manter sincronização de tempo de relés por até cinco horas mesmo com a perda do sinal do GPS 

As bolhas de plasma ou bolhas ionosféricas, que são um fenômeno natural, aparecem no céu de regiões equatoriais e podem ser caracterizadas como regiões de vazios de plasma na atmosfera. Chegando a alcançar até quilômetros de comprimento, essas bolhas são mais presentes no verão. No Brasil, as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste são as mais atingidas pelo fenômeno que também pode ocorrer em parte do Sudeste. Seu aparecimento pode atenuar e até interromper o sinal do GPS causando prejuízos a inúmeros setores da economia, desde a agricultura, aviação, indústrias petrolíferas até o setor de transporte. No setor elétrico, isso ainda não era um problema porque o GPS era usado para estampa de tempo em relatórios ou funções de monitoramento, mas com a chegada ao mercado de equipamentos em que as funções de proteção dependem de sincronização de tempo, o GPS passou a ser essencial para a continuidade da proteção. Para vencer este problema, a SEL possui uma tecnologia inovadora que mantém a sincronização por até cinco horas na perda do sinal GPS.
As medições sincronizadas via fasores e subestações digitais com protocolo IEC 61850-9-2 Sampled Values (valores amostrados), tornaram o sinal do GPS fundamental para proteção. As merging units instaladas no campo digitalizam os sinais analógicos dos transformadores de corrente e tensão e os transmitem para a casa de controle, já que ficam entre o relé e os equipamentos do pátio. Essas amostras precisam de um tagueamento de tempo preciso, caso contrário , a proteção será desabilitada. 
É preciso garantir a precisão de tempo dos relés mesmo sem esse sinal. Para isso, no setor elétrico, uma inovação é o SEL-2488 – Relógio de Rede Sincronizado por Satélite que recepciona o sinal GPS e faz a distribuição do horário de maneira precisa. Mesmo que o sinal seja interrompido, pelo aparecimento de bolhas de plasma, ou por uma falha do equipamento como uma antena quebrada, por exemplo, os relés continuarão sincronizados por cinco horas garantindo a continuidade da proteção.

SEL-2488 - Relógio de Rede Sincronizado por Satélite

O SEL-2488 é instalado na própria subestação e se comunica diretamente com os relés via cabo ou por meio da rede. Se o sinal do GPS não estiver disponível, o relógio comuta para o oscilador interno (holdover). Este pode ser de dois tipos: TCXO (Oscilador de Cristal com Compensação de Temperatura) com precisão de 36 microssegundos por dia, ou oscilador OCXO, que é fabricado com uma técnica de preaquecimento de cristal, ainda mais avançada e com precisão de 5 microssegundos por dia. 
O equipamento garante a precisão mesmo que o sinal do satélite tenha sido perdido e ainda que ocorram variações de temperatura. Os recursos do relógio têm até mesmo compensação de atraso para cabos de antena e de saída, assegurando a distribuição de tempo para instalações grandes com relés espalhados pela planta ou com antenas instaladas em pontos altos de torres. 

Saiba mais sobre essa solução clicando aqui.

Fonte: Interface 49